sexta-feira, 20 de junho de 2008

A poesia também é para comer...

Já alguém o disse mas é sempre bom lembrar. Muitos pensam que a poesia não tem utilidade, que serve apenas para exercicio narcisico de quem a escreve - nada mais errado. Concordo que nos meios ditos literários há muita bajulação e que muita gente massaja o ego quando escreve. Sei-o por experiência própria de certos meios por onde passei. Mas a poesia implica espiritualidade pois sem ela a mensagem morre e a palavra aborta . Sempre me fez especie poetas que não gostavam de musica e que se diziam ateus. Nem eles sabiam o que diziam, coitados..." Ser poeta é ser mais alto" -escreveu Pessoa e poucos perceberam o que ele quis dizer verdadeiramente. Ser mais alto não é um elogio nem uma fanfarronice, pelo contrário. Pessoa sabia que para chegar a essas alturas o poeta sofria na pele as consequencias. Para lá chegar não eram precisos grandes estudos mas também, para alguns, só pelo estudo profundo se podia lá chegar. O disfrute da poesia implica fome de poesia e de espiritualidade e por isso come-se poesia para saciar essa fome e essa sede. A unica utilidade da poesia é satisfazer essa necessidade que para alguns é mais do que fisiológica mas também seduzir os indiferentes e embutados. O resto é vaidade e mercado e nada vale!

4 comentários:

ana maria costa disse...

Sabes José a sensação que se sente no externo aquela que o faz bulir, caracteristica de Mantra e também Reiki. A paz na alma o sorriso individual que a leitura provoca ao ler-se. E mais podia dizer de luzes nos olhos.
Não me elogies pede o mesmo aos outros. Elogiar atrasa a evolução da aprendizagem.
Não interpretes as minhas palavras como elogios ao falar que gosto do que escreves e da maneira como o fazes.

gdec disse...

Só para lhe dizer, meu caro José Egipto, que "ser poeta é ser mais alto, é ser maior / Do que os homens ! Morder..." não é um poema do F. Pessoa mas sim da Florbela Espanca .
Não tem grande importância, esta sua confusão, mas o seu a seu dono.
um abraço
Geraldes de Carvalho

Ps E como eu não conheço toda a poesia do F. Pessoa não excluo que ele também tenha feito algum poema com o referido verso. Nesse caso bem gostava de o conhecer . gdec

Anónimo disse...

Amigo José:
Subscrevo-me inteiramente as suas palavras.
Com afecto,
Bernardete Costa

burgau disse...

Da Água toda